HOTMART

Lomadee

TRADUTOR

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Casos especiais de Reprodução


Estrepsípteros: indivíduos que se reproduzem por neotenia

A reprodução consiste no processo de formação de novos seres, semelhantes aos que os originaram. Esta pode ser assexuada, quando há apenas um genitor; ou sexuada, quando há a fusão de gametas oriundos do mesmo indivíduo (autofecundação) ou de indivíduos diferentes (fecundação cruzada). Nesse caso, estamos falando em fecundação.

Considerando os padrões mais comuns de reprodução, existem espécies que desenvolveram variações nesta modalidade: são os casos especiais de reprodução.


CLONES

Nem todos os clones são resultantes de procedimentos laboratoriais, tal como a ovelha Dolly. A fissão binária, presente principalmente na reprodução de bactérias, gera clones, uma vez que uma única célula se divide em duas, idênticas.


CONJUGAÇÃO

Nesta, há troca de material genético dos núcleos de células. Ex: bactérias, protozoários e algas filamentosas.


METAGÊNESE

Conhecida, também, por alternância de gerações, onde ora a reprodução se dá de forma assexuada, ora sexuada; essa modalidade reprodutiva é típica de cnidários e plantas sem sementes.


NEOTENIA

Indivíduo, com características larvárias, desenvolve habilidades e características reprodutivas - inclusive produzindo gametas fertilizáveis. A axolote (larva de salamandra) e indivíduos da ordem Strepsiptera, são exemplos.

O desenvolvimento destas características pode estar relacionado ao mau funcionamento da glândula tireoidea; fatores genéticos; exposição excessiva ao frio; ausência de luz ou falta de iodo no organismo.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola




Pandas gêmeos

A reprodução consiste no processo de formação de novos seres, semelhantes aos que os originaram. Esta pode ser assexuada, quando há apenas um genitor; ou sexuada, quando há a fusão de gametas oriundos do mesmo indivíduo (autofecundação) ou de indivíduos diferentes (fecundação cruzada). Neste caso, estamos falando em fecundação.

Considerando os padrões mais comuns de reprodução, existem espécies que desenvolveram variações nesta modalidade: são os casos especiais de reprodução.


PARTENOGÊNESE:

Desenvolvimento do embrião a partir de óvulo não-fecundado. Geralmente, os indivíduos são haploides (zangões e escorpiões-amarelos), mas podem ser diploides quando não ocorre meiose ou quando o corpo polar se junta ao ovo (ex: algumas espécies de pulgões e de borboletas, respectivamente).

Quando são desenvolvidos apenas indivíduos machos, chamamos de partenogênese arrenótoca; quando são apenas fêmeas, falamos em partenogênese telítoca; e quando são de ambos os sexos, anfítoca.


PEDOGÊNESE

A pedogênese ocorre, geralmente, em indivíduos em estágio larvário. Estes podem dar origem a novas larvas, por partenogênese ou por células não-reprodutivas. O platelminto Fasciola hepatica e o Schistosoma mansoni podem se reproduzir dessa forma.


POLIEMBRIONIA

Pode ocorrer em casos de animais ovíparos ou em partenogênese. Durante as divisões mitóticas, cada célula pode dar origem a um novo indivíduo. O resultado deste caso especial de reprodução é o nascimento de dois ou mais seres, muito semelhantes e, necessariamente, do mesmo sexo. Gêmeos univitelinos são formados por este processo. Seres humanos, tatus, cães, coelhos e alguns insetos são exemplos de espécies que este tipo reprodutivo pode ocorrer.


POLIOVULAÇÃO

Nem todos os gêmeos são formados por poliembrionia: gêmeos bivitelinos são resultantes de poliovulação. Esta ocorre quando a fêmea libera mais de um óvulo durante a ovulação, estes sendo fecundados por espermatozoides distintos. Assim, os indivíduos são geneticamente diferentes.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário