HOTMART

Lomadee

TRADUTOR

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O que é um híbrido? Quais os híbridos animais mais estranho?

Animais híbridos

São considerados animais híbridos os descendentes cujos pais pertencem a espécies diferentes.


A mula é um animal híbrido estéril oriundo do cruzamento entre uma égua e um jumento
A hibridação foi estudada pela primeira vez com vegetais no século XVIII, pelo naturalista Joseph Gottlieb Kölreuter. Após experimentos com milhares de plantas, ele conseguiu produzir uma planta híbrida, batizando-a de mula híbrida – fazendo referência à mula, um animal híbrido. Dessa forma, ele afirmou ter encontrado a primeira mula botânica produzida pelo homem.
Chamamos de híbrido todo e qualquer organismo vivo descendente de indivíduos geneticamente diferentes, ou seja, o híbrido é o produto do acasalamento entre indivíduos de espécies diferentes. É importante lembrar que são considerados híbridos apenas os descendentes de pais de espécies diferentes, e que quando há o cruzamento de animais da mesma espécie, mas de raças diferentes, são obtidos animais mestiços.
Não podemos dizer que todo híbrido é estéril, pois na natureza encontramos híbridos que possuem fecundidade limitada. Esse grau de fecundidade se apresenta nas fêmeas, pois nelas os óvulos têm desenvolvimento completo, enquanto que nos machos é raro as células espermáticas se desenvolverem ou amadurecerem. Um exemplo claro de hibridismo com fecundidade limitada ocorre no cruzamento do porco doméstico com o javali, que resulta em híbridos, sendo que os machos são estéreis e as fêmeas são fecundas.
Veja abaixo alguns exemplos de animais híbridos:
- Mula: resultado do cruzamento entre uma égua e um jumento;
- Zebralo: resultado do cruzamento entre uma zebra e um cavalo;
- Ligre: resultado do cruzamento entre um leão e uma tigresa;
- Tambacu: cruzamento entre os peixes tambaqui e pacu-aranha;
- Leopon: cruzamento entre uma leoa e um leopardo;
- Huarizo: resultado do cruzamento entre um lhama com uma alpaca.
A hibridação, ocorrendo naturalmente, não constitui uma ameaça à conservação das espécies envolvidas, sendo vista, nesses casos, como parte da história evolutiva dessas espécies animais, mas pode se tornar um problema para a conservação se for propiciada por mudanças no habitat ou na composição das espécies provocadas por ações humanas.


Híbrido designa um cruzamento genético entre duas espécies vegetais ou animais distintas, que geralmente não podem ter descendência devido aos seus genes incompatíveis. Este fenômeno foi estudado pela primeira vez em plantas por Kölreuter durante o século XVIII, embora existam citações mais antigas sobre esse assunto, tanto em plantas como em animais.



Algumas dessas novas espécies ainda são produzidas até hoje através do cruzamento entre espécies, essencialmente para serem usadas como atrações de shows e locais turísticos. Atualmente, os cientistas estão tentando recriar o mamute, animal pré-histórico, através de inseminação artificial de sêmen destes animais (que foram encontrados congelados em algumas partes do planeta) em fêmeas de elefante, que são seus parentes modernos. Se conseguirem, este animal será um híbrido de elefante com mamute, e provavelmente também será estéril.

Tipos

  • Híbrido duplo - é o cruzamento de dois híbridos simples F1.
  • Híbrido triplo - é o cruzamento simples F1 com uma linhagem endogâmica.

Exemplos


Animais

  • Abelha africanizada - poliíbrida, ver artigo sobre.
  • Bardoto - cruzamento entre um cavalo e uma jumenta.
  • Cama - dromedário com lhama
  • Jagleão - cruzamento entre um jaguar e uma leoa
  • Leopon - cruzamento entre um leopardo e uma leoa
  • Ligre - cruzamento entre um leão e uma tigresa
  • Cayuga - é descendente de cruzamentos de marrecos rouen (Anas platyrhynchos domesticus) e marreco preto americano Anas rubripes
  • Mula - cruzamento entre um jumento e uma égua.
  • Mulard Anas platyrhynchos domesticus x Cairina moschata momelanotus
  • Pintagol - pintassilgo com canário
  • Pumapardo - cruzamento entre um puma e um leopardo
  • Tambacu - pacu-caranha com tambaqui
  • Tigreão - cruzamento entre um tigre e uma leoa.
  • Tursiops truncatus x Pseudorca crassidens - cruzamento de golfinho e falsa-orca.
  • Zebralo - cruzamento de uma zebra com uma égua
  • Zebrasno - cruzamento entre uma zebra e um jumento.

Plantas

  • Azálea - híbridos de várias espécies do gênero Rhododendron.
  • Bananeira - híbridos e poliíbridos.
  • Laranjeira - híbrido de pomelo com tangerina.
  • Lima - híbrido de várias espécies, ler artigo sobre.
  • Limão - também híbrido, ler artigo sobre.
  • Orquideas - muitas das vendidas em floriculturas, variedades comerciais, são híbridas e poliíbridas.
  • Tangelo - híbrido de uma tangerina com uma toranja.
  • Toronja - híbrido de uma pomelo com uma laranja.
  • Triticale - híbrido de trigo com centeio.

 Mula


Mula ou Jerico (ilhas da Madeira e Porto Santo), em seu significado moderno comum, é o indivíduo híbrido resultante do cruzamento de um jumento, Equus africanus asinus, com uma égua, Equus caballus.
Por agrupar características positivas das duas raças, é um animal adaptado ao transporte de cargas, tendo sido muito utilizado até o começo do século XX, principalmente em locais de topografia acidentada.
Devido ao fato de cavalos possuírem 64 cromossomas, enquanto o jumento possui 62, resultando em 63 cromossomas, as mulas são, quase sempre, estéreis. São raros os casos em que uma mula deu à luz; com efeito, desde 1527, data em que os casos começaram a ser arquivados, apenas 60 casos foram registrados.

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Perissodactyla
Família: Equidae
Género: Equus
Espécie: E. cabalus x E. asinus

Ligre


Bando de Ligres
O ligre (leão + tigre) é um híbrido entre um leão e uma tigresa.
Os machos deste animal são híbridos estéreis, pois o número de cromossomos do leão e do tigre são pares, mas diferentes, assim o ligre tem um número ímpar de cromossomos graças ao processo da meiose que ocorre na formação dos gametas femininos e masculinos (óvulos e espermatozóides, respectivamente), podem se acasalar com outro animal com características parecidas, como o próprio tigre ou leão puros, mas seus filhotes podem ter a saúde delicada.

O seu aspecto é de um gigantesco leão com raias de tigre difusas. Ele é, atualmente, o maior felino do mundo, possuindo entre 3,5 e 4 metros de comprimento. Com apenas três anos pode vir a pesar meia tonelada, por meio de sua dieta de carne e frango.


Acredita-se que o enorme tamanho que esses animais atingem ocorra pela ausência de genes que condicionem a produção dos hormônios inibidores do crescimento. Isso porque nos leões essa é uma herança materna, e nos tigres é paterna, portanto os ligres não recebem esses genes. O cruzamento entre leões e tigres só ocorre por ação do homem. Além de os hábitats de ambas as espécies serem muito diferentes, elas geralmente não compartilham os mesmos territórios, de maneira que há poucas possibilidades de se encontrarem para formar este estranho cruzamento. Na atualidade esses animais só coexistem na natureza no bosque de Gir, na Índia. Antigamente porém, leões e tigres coexistiram na Mesopotâmia, Cáucaso, Pérsia, Afeganistão e em grande parte do subcontinente indiano.
Existe também o tigreão, que é o híbrido de uma leoa com um tigre.

Tigreão


O tigreão é um cruzamento híbrido entre uma leoa e um tigre macho. O tigreão não é tão comum como o ligre, no entanto, no final do século XIX e início do século XX, os tigreões eram mais comuns que os ligres.

Características

Podem exibir características de ambos os pais: podem ter pintas da mãe (leões têm o gene das pintas – as crias leão são pintadas) e riscas do pai.
A juba do tigreão irá ser mais curta e discreta que a do leão e mais similar ao tufo do tigre. É um erro pensar que os tigreões são menores que leões ou tigres. Não ultrapassam o tamanho dos seus progenitores porque herdam o gene inibidor do crescimento da mãe leoa e do pai tigre mas não apresentam nenhum tipo de nanismo ou miniaturização; muito frequentemente pesam aproximadamente 180 kg.
A relativa raridade de tigreões é atribuída ao fato dos tigres machos acharem o comportamento de acasalamento da leoa demasiado sutil e escapam-lhes algumas pistas sobre o interesse dela em acasalar. No entanto, as leoas são ativas e desenvoltas em solicitar o acasalamento, pelo que a atual raridade dos tigons deve-se ao facto de serem menos impressionantes em termos de dimensões do que os ligres, abaixando o valor de novidade. Há um século atrás, os tigreões eram mais comuns que os ligres. Gerald Iles, na obra At Home In The Zoo (1961) conseguiu obter 3 tigreões para o Belle Vue Zoo de Manchester, mas escreveu que nunca tinha visto um ligre. Atualmente há um número significativo de tigreões a serem criados na China.

Fertilidade

Na obra Wild Cats Of The World (1975), Guggisberg escreveu que tanto ligres como tigreões eram estéreis; no entanto, em 1943, um híbrido de leão com tigre das “Ilhas” com 15 anos de idade foi cruzado com sucesso com um leão do Hellabrunn Zoo de Munique. A cria femea, ainda que de delicada saúde, sobreviveu até à idade adulta. Os tigreões machos são estéreis, enquanto que as fêmeas são férteis. Pelo fato de que apenas as fêmeas de ligres e as tigreões são férteis, ligres e tigreões não podem se reproduzir entre si. No Alipore Zoo, na Índia, uma tigreão fêmea chamada Rudhrani, nascida em 1971, foi cruzada com sucesso com um leão asiático chamado Debabrata. A rara segunda geração de híbridos foi designada li-tigreão.Rudhrani gerou 7 li-tigreões durante a sua vida. Alguns dos quais atingiram tamanhos verdadeiramente surpreendentes – um li-tigreão chamado Cubanacan (morreu em 1991) pesava 363 kg, media de altura 1.32m até ao ombro e tinha 3.5 m de comprimento total.
Também há registros de ti-tigreão,li-ligre e ti-ligre resultante de cruzamento entre uma tigreão fêmea e um tigre macho. Ti-tigreões são parecidos com o tigre dourado mas com menos contraste nas suas riscas. Uma fêmea tigreão nascida em 1978, chamada Noelle, partilhou cativeiro na Reserva de Shambala com um Tigre Siberiano macho, chamado Anton, devido à crença do tratador de que a fêmea era estéril. Em 1983, Noelle teve um ti-tigreão chamado Nathaniel. Como Nathaniel era ¾ tigre, tinha riscas mais escuras que a progenitora e vocalizava sons mais similares aos do tigre do que a mistura de sons emitidos pela mãe. Sendo apenas ¼ leão, Nathaniel não tinha juba. Nathaniel morreu com cancro aos 8 ou 9 anos. Noelle também ficou doente com cancro e morreu pouco depois.

 Classificação científica

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae

Zebrasno


Um zebrasno na África do Sul

O zebrasno é um animal híbrido, que resulta do cruzamento entre uma zebra e um asno. Pertencem ambos à família dos equídeos.
Encontram-se zebrasnos selvagens na África do Sul e Namíbia, países onde zebras e burros vivem em proximidade. Tal como a mula, são geralmente estéreis devido a um número ímpar de cromossomas que impede a meiose.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário: