HOTMART

Lomadee

TRADUTOR

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

SEXO ANAL E SEXO ORAL [Marcos Ribeiro]



A cada dia percebemos que o comportamento sexual depende, mais e mais, das fantasias e dos desejos de cada um, não descartando a influência sócio-cultural sobre as pessoas.

Isso vai depender do conceito de "normalidade" que cada pessoa traz dentro de si. O que pode ser considerado "anormal" para uns, pode ser para outros uma fonte de grande prazer.

O comportamento "normal" não pode ser aquele que esteja proporcionando prazer para ambos? E mais especificamente em relação ao sexo oral e anal, se as duas pessoas do casal concordam em manter essa prática, o que há de errado nisso?
Eu acredito que o errado é quando um dos parceiros faz qualquer coisa que seja contra a própria vontade. Nesse caso, a pessoa está se violentando em prol do desejo do outro. E aí, onde ficam os próprios desejos? Como ficam as próprias vontades?

Temos que pensar seriamente nessa questão. Que sexo é bom, é gostoso, já se sabe. Mas o que não podemos nos esquecer é de que essa prática só é plenamente satisfatória quando é feita de acordo com os gostos e escolhas de cada pessoa.
Com isso, quero dizer que é importante respeitar a individualidade do outro. Porque o relacionamento sexual é muito mais que uma penetração; ele envolve troca, companheirismo, carinho e respeito.

Você já notou que sempre que se fala em sexo oral e anal, as pessoas logo associam a "variações" que só podem ser feitas com as mulheres da rua? A mulher de casa, ou seja, "a minha esposa e mãe dos meus filhos", é para ser "respeitada". E muitas mulheres pensam assim também.

Não quero dizer que está errado quem pensa assim. Deve-se respeitar o jeito de pensar de cada um.

Em termos gerais, não existe certo ou errado em se falando de sexo, mas o que significa ser certo ou errado para cada um.

Em relação à saúde, há quem diga que a prática freqüente de sexo anal faz com que as pessoas que o praticam fiquem sem controlar as fezes, porque o ânus ficaria um pouco mais largo ou frouxo. Isso não é verdade.

Mas é preciso ter cuidado, porque é perigoso penetrar no ânus e depois levar
o pênis diretamente para a vagina, por exemplo, sem antes lavá-lo. Os microorganismos ("bichinhos" que causam doenças) que vivem no ânus, devido às fezes, podem ir junto e, com isso, causar uma vaginite (que significa inflamação da vagina).

Um outro problema é que essa prática aumenta, pelo mesmo motivo, a possibilidade de o homem contrair uma uretrite (que é a inflamação da uretra). Uretra. é o buraquinho por onde sai o xixi.

Além disso, hoje em dia, devido a aids, é aconselhável o uso de camisinha.
É importante ter cuidado e fazer as coisas com cautela, sem deixar de desfrutar do prazer que o sexo pode lhe proporcionar.

Já a prática do sexo oral (que é a estimulação do pênis ou vulva pela boca) não causa danos à saúde, se o homem for sadio. Igualmente, como já falei antes, por causa da aids é importante ter cuidado. E esse cuidado significa usar camisinha.

O que significa o termo boquete?
No sexo oral o parceiro ejacula na boca da mulher? No caso de uma resposta afirmativa, o que faz a mulher com o esperma que é ejaculado em sua boca?
(Ana Cristina, Engenho Novo - RJ.)

Boquete é uma expressão popular para o sexo oral, ou seja, quando os garotos falam "pagar um boquete", significa que eles querem ou estão tendo o seu pênis estimulado pela boca. Não existe uma expressão semelhante para as mulheres. Pelo menos eu desconheço.

Outras expressões usadas na sexologia para o sexo oral são: felação (quando se tem o pênis estimulado pela boca) e cunilíngua (quando a vulva é estimulada
pela boca).

Em relação à segunda pergunta, a atitude a ser tomada é pessoal, dependendo de cada mulher, e deve ser respeitada pelo parceiro. Há mulheres que ingerem o sêmen; outras, não. Mas, mais uma vez, não podemos esquecer os cuidados com a prevenção. E nesse caso, também, na prática do sexo oral, deve-se usar camisinha.


( Marcos Ribeiro )

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário